quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Devagarinho...

Por que temos tanta pressa? A grande maioria das pessoas que conheço e convivo diariamente sofrem da síndrome do “aqui, agora e já”, não saboreiam nem o próprio almoço pra não perder seu precioso tempo, afinal, “tempo é dinheiro”.

Sem perceber, essas pessoas vão passando pela vida na velocidade da luz, atropelando gente pelo caminho, deixando alguns feridos, outros mortos, mas a probabilidade de parar para socorrer ou voltar atrás é praticamente zero, anseia-se mais que a própria vida chegar ao podium no lugar mais alto, ou seja, à realização satisfatória e completa.

Mudou-se o século, mudaram as prioridades. Agora os meus desejos, anseios, carreira vêm antes de minha família, saúde, felicidade (...). Não concordo com o ideal ambicioso e sem escrúpulos de alguns, mas também não apoio àqueles ociosos que vão vendo a vida passar de braços cruzados esperando o maná cair do céu.

É devagar, devagarinho, desse jeitinho que tem que ser, nem rápido demais, nem parado no tempo, é devagarinho, no sapatinho, no miudinho, entendeu?

Deixa a vida te levar no ritmo do samba-canção, assim meio moroso, sutilmente brando e extremamente sentimental, a vida levada nessa batida é muito mais pensada, sentida, apreciada. As chances de se estatelar no chão e ficar com seqüelas graves, são praticamente nulas quando se está devagarinho....

Vai de mansinho, sentindo o gostinho doce de ser feliz, sentindo o ventinho fresco de esperança tocar a face, vai ajeitando uma coisa ali, outra acolá, vai seguindo e planejando, montando as peças, regando os sonhos, o tempo, (Rum!) não é dinheiro, é apenas o prazo da vida. E a vida, meu bem, não tem pressa, não se avexa, não se afoba pra acabar, ela segue no passinho lento, pra te dar tempo de sorrir, e de chorar, de perder e conquistar, de crescer e aparecer, de compor e de sambar...

‘Glenda Barros

6 comentários:

Guilherme Gondim disse...

Opa, ótima reflexão e texto saboroso de ser lido.
Gostei dos diminutivos, dá ideia de carinho e afetuosidade.

Abraços

Danillo Magalhães disse...

Meu Deus... estou vendo que breve, muito breve teria uma amiga escrito de alguma coluna jornalística ou escritora de algum livro... Excelente texto!!! Parabéns. Gostei muito!

Danillo Magalhães disse...

Infelizmente a correria do nosso dia-a-dia nos faz perder o melhor das pequenas coisas da nossa vida... e atualmente todos nós vivemos na loucura do corre-corre... mas devagar, devagarinho vamos tentando nos enquadrar a viver de uma forma feliz.

jessica disse...

É minha amiga, o tempo passa e a gente fica ou a gente passa e nem vê a vida...é mais ou menos assim...A melhor forma é viver e ser feliz, nos detalhes mínimos que ela nos oferece, sem afobar na correria e nem parar na esquina, é viver moderadamente....

Eu disse...

Vixe deu até prguiça no finalzinho....kkkkk
Tenho um texto parecido sobre o tempo. Aff mas tá impresso dá uma preguiça de digitar de novo....bjuus Parabéns

Coisas da vida disse...

kkk...Eu? Fiquei curiosa...kkkk
é q eu tava com preguiça tbm na hora q escrevi, ´deve ser essa a explicação desse final preguiçoso...kkk