quinta-feira, 19 de maio de 2011

Besta covarde!!!

Glenda Barros

           Outro dia esbarrei numa fulana indignada consigo mesma, por sua total falta de iniciativa. Inconformada com sua timidez opressora, chorava as mágoas por ter deixado escapar, por entre os dedos, a chance de desencalhar e ser feliz.
            Me coloquei no lugar da mesma (de praxe!), e não diferente dela me descobri uma completa besta covarde. Coragem também não é bem o meu forte, quando me deparo diante de algumas situações, prefiro me camuflar e passar despercebida, que meter a cara e racha-la bem no meio de vergonha.
            Outro dia precisava desesperadamente falar com uma pessoa, e a visualizei do outro lado da rua, andando com muita pressa. Pensei eu “poxa, mas ela tinha que estar do outro lado da rua?!” agora não tenho coragem de arregaçar meu maxilar num berro audível pra chamar a atenção dela. Entre gritar e todos em volta olharem pra mim, optei por seguir em frente e poupar minhas pregas vocais de uma possível rouquidão.
            Não sei por que ainda junto moedinhas no cofrinho! Sinto um desconforto horroroso quando vou trocar as moedinhas por notas, sempre perco a metade do que juntei comprando alguém pra trocar pra mim.

            Mas nada se compara ao ridículo, de ter que pedir pra ir ao banheiro na casa dos outros?! Meu Deus, isso é constrangedor demaaaaaaaaais! E parece que a nossa bexiga faz de propósito, é a gente botar os pés em ambiente diferente pra ela se manifestar, e como se não bastasse, o xixi fica tão jubiloso pelo novo lugar, que sai todo escandaloso, "hei psiu, vai devagar!", ainda acho que o que a gente faz no banheiro tem que ficar entre a gente.
            Comer o último salgadinho da bandeja, chupar laranja em público, passar com o papel higiênico na frente de alguém, comer sanduiche na frente do namorado, correr pra pegar o ônibus, levar pra casa o restante de refri que sobrou e nem morta eu ando com absorvente íntimo na mão, expondo feliz e retumbante aquela mini fralda contentora de hemorragias, pra tudo isso me falta coragem (faltava!).
            Coragem é confrontar o medo. Mas para algumas coisas, prefiro me deixar ser vencida pelo medo. Acho que estou me expressando errado, o termo certo não é falta de coragem e sim,  bom senso ...
 Até porque coragem eu até tenho, só me falta-me a cara de pau...     

4 comentários:

Missionária Bella Dourado disse...

Saudades de ver este blog em movimento.

Achei engraçado o teu texto, e acho que vc é timida não se resume a cara de pau , pois todas as coisas que citou fazem parte do cotidiano.

Bjs querida, que Deus continue te abençoando e possa desmistificar os teus "monstrinhos tímidos"
com carinho

Carlen Alves disse...

kkkkkkk..... Acho que me senti cara de pau agora, será porque né kkkkk, muito bom seu texto, mais uma vez parabéns!!!

Cláudia disse...

Glenda,

Li e me coloquei no seu lugar. Também posso dizer que "pra variar". A vida traz situações que, com o tempo, muda isso completamente. Digo por experiência própria. Nasci absurdamente tímida e, mais e mais, meu jeito foi mudando. No meu trabalho sou obrigada a falar com pessoas que nunca vi, diariamente. Ir a todos os lugares sem ter como reclamar. Já não sou tão tímida, pra dizer a verdade há quem me ache um tanto "despachada". Um longo percurso até conquistar a posse do meu nariz. Demorou, mas valeu a pena!
O tempo é um santo remédio. Um dia você vai gritar bem alto, vai rir bem alto, vai passear com um rolo de papel higiênico, fará xixi na casa de quem for ( no banheiro, de preferência...) e não vai em um só momento pensar: Nossa, o que será que vão pensar de mim?". A gente, com a maturidade, passa a não dar a mínima pra opinião alheia. E aí sim, começa a curtir a vida pra valer!
Acho que isso não é comum de se desejar, mas eu desejo que você "envelheça"...rss... Vai descobrir o quanto pode ser divertido não se importar com nada, senão com sua própria consciência.
Bom o texto, gostei!

Beijos,

Cláu ( Diva Latívia)

Sr.ta Pitta disse...

°°°Texto maravilhoso!
Rsrs... =]