terça-feira, 27 de julho de 2010

O SENTIDO DA VIDA

A saudade, ao contrário do que todo mundo diz, não é um sentimento muito bom, afirmo com todo certeza, pois, se fosse bom, não iríamos querer findá-lo em nossos corações com uma visão ou um abraço apertado daqueles de quem sentimos saudade. Podem até achar que meu ponto de vista é um tanto extremista, mas não podemos negar fato de que lembranças jamais substituirão um toque de afeto, e nem tão pouco poderão suprir a ausência de alguém que tanto amamos.


Saudade, e só saudade é o que sinto nesse momento...

Queria muito que o dia de hoje fosse um sonho, queria poder me beliscar agora e acordar desse pesadelo, pois minha querida e doce vovozinha faleceu, e eu nem pude lhe dar um último adeus (o porquê é uma história longa que prefiro não falar). Aquele sentimento que eu sempre dizia ser bom e gostoso, pra mim hoje é o pior que já senti. Queria tanto tê-la de volta, mas diante da morte consumada o sentimento que predomina no peito é de impotência, de incapacidade.
Todos nós sabemos que a vida continua e que as coisas seguirão seu fluxo normal, sabemos também que a morte existe e que um dia todos nós a enfrentaremos, mas o curioso é que, temos plena consciência disso tudo e mesmo assim não deixamos de sentir uma imensa dor desconfortável no peito; que é como se uma mão enorme segurasse nosso coração e o apertasse numa pressão tão forte que chega a faltar o ar. O fato agora é que, o que antes era uma falta que poderia ser suprida quando quiséssemos, agora é uma ausência permanente que nos proporciona como conseqüência, uma saudade crônica e incurável.
Passar por esse momento me fez refletir sobre uma questão. Acho que é uma indagação feita pelo menos uma vez na vida por qualquer pessoa. Quem nunca parou pra pensar em qual o sentido da vida? As pessoas filosofam sobre isso, vão em cima e embaixo para tentar explicar algo tão simples. Eu prefiro pensar no sentido mais puro da palavra, SENTIDO = DIREÇÃO. No meu humilde ponto de vista, o sentido da vida é pra frente, e penso mais; aqueles que entendem isso são bem aventurados.

A dor de perder alguém é algo tão grande que palavras não conseguem descrever, saber que nunca mais em sua vida você poderá ter o abraço daquele ente querido, ou poderá visualizar o sorriso dela, ou simplesmente ouvi-la. É uma dor que, honestamente, paralisa nossos sentidos, a vontade que se tem é a de ter o poder de parar o tempo, para não sentir mais o gosto amargo de perder alguém.
O ser humano é um milagre mesmo. Somente Deus pode ter sido o criador de tal criatura, pois mesmo diante de uma dor assim tão terrível, ainda consegue permanecer de pé e seguir em frente. Hoje eu posso dizer que entendi o sentido da vida, e pretendo segui-lo até que ele seja interrompido naturalmente pelas circunstâncias adversas. Não podemos parar o tempo, e nem se pudéssemos teríamos o direito de faze-lo, pois além de nos privar de muitos outros momentos, estaríamos extraindo de várias outras pessoas esse mesmo direito de viver e sentir emoções. O mais sensato a se fazer, é seguir em frente e procurar nas lembranças o consolo da dor e a força para continuar a caminhar.

“A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar” (Rubem Alves).

In Memoriam Natalia Barros de Sousa

‘Glenda Barros

4 comentários:

Anônimo disse...

Nossa amiga
Eu sinto muito viu
peco que Deus te conforte nesta hora tao dificil ta
AmOOo muito voce
Karlla

Afra disse...

Glenda, tem uma frase que eu gosto muito:viver nos corações dos que ficaram não é morrer...
Sua vozinha continuará viva em seu coração.
Sempre que você sentir saudades dela, lembre-se disso. Tudo o que ela é para você, continuará vivo e guardado sempre com você em seu coração. E isso a morte não consegue apagar.

Jorgephp, Psycho, Sensei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandro disse...

Saudade é um sentimento doloroso.
Minha mãe, Dona Silvia, foi para Jesus há 2 anos.
Até hoje, quando lembro, dói.