sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Programa de Índio...



“O lugar é lindo! Eu vi as fotos no site. Tem piscina, playground para crianças, um chalé no meio do lago, lugar pra pesca esportiva e até um restaurante com os mais variados tipos de pratos...hummm...uma delícia de lugar!”

Essas palavras alucinadoras despencaram da boca de minha prima, e caíram perfeitamente na nossa vontade louca de descansar e curtir o feriado. Cheios de fé, cruzamos o estradão desse meu Goiás sem porteira, deixando pra trás o estresse da cidade grande, a borracha dos pneus no asfalto escaldante e a monotonia do dia-a-dia.

Chegando ao dito lugar, um senhorzinho baixinho, pançudo e meio careca nos recebeu com um largo e simpático sorriso de três dentes e uma frase bem típica da região: “Baum? Quié que ocês manda?”
Empolgadíssima e ansiosa perguntei “quanto é pra entrar moço?” (ainda fui simpática, chamar aquilo de moço foi duro!) “Uai, apenas dér reaus!”, pensei com meus botões coloridos e saltitantes “que maravilha, é baum, e é baratim...baratim...!” (percebam que o lugar começou a me afetar)

Agora, caro leitor, sugiro que imagine uma cara de espanto. Imaginou? Agora incorpore essa cara que você imaginou à seguinte frase, “aquela taperinha no meio desse lago podre é o chalé?” Subentende-se que o lugar não era lá essas coisas. Piscina? Tinha sim, uma só, de mais ou menos três metros quadrados (enorme!), o lago fedia peixe podre e a comida do restaurante faltava sair andando sozinha, ou melhor, voando, nunca na minha vida vi moscas como aquelas, eram mutantes, enormes e verdes, os olhos pareciam a logo da rede globo de televisão, arregalados e ameaçadores em direção ao nosso prato. (credo!)

Longe da civilização e sem muitas opções, resolvemos ficar por ali mesmo e arranjar o que fazer. Colocamos nossos biquínis, maiôs, e os rapazes suas sungas; (alguns tímidos ficaram no discreto shorts) e seguimos para o Tietêzinho (apelido carinhoso, fazendo menção ao odor produzido pelo lago). O lago era fedido, mas era frio, e com aquele calor infernal, que dava pra esquentar marmita ao ar livre, não tínhamos outra alternativa senão nos render as águas sebosas e escuras daquele lago (Detalhe, a escuridão lago não indicava sua profundidade, era sujeira mesmo, a água mal cobria nossos joelhos).

Ficamos por ali o dia todo, jogando água na cabeça com uma canequinha improvisada, juro que podia se ouvir o tsiiiiiii da água fria tocando o corpo quente. Como resultado desse dia de cão, tivemos algumas unhas quebradas, insolação, dores abdominais, escoriações e alguns traumas. “Felizmente” não foi de todo ruim, terminamos o dia no trono, coroados pela experiência e reinando majestosamente sob o nível mais alto do fundo da fossa....

Isso é o que eu chamo de programa de índio, mas afinal de contas, quem nunca fez um programa de índio que atire a primeira flecha!



'Glenda Barros

11 comentários:

Victor Viana disse...

kkkkkk eu ri do texto , mais eu que não quero fazer um pograma de indio.

P.S. disse...

A parte divertida do programa de índio é que você pode culpar pra sempre quem te convidou, pelo menos vai rir muito, se vinga de certa forma...kkkk

Danillo Magalhães disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk Onde vc se meteu heim... confiar em fotos de internet às vezes pode ser furada (como no seu caso kkkk)
Parabéns mais uma vez pelo texto!

Diego Dias disse...

UHauahaUHAUahaUHA

Ri do início ao fim. Eu sempre embarco em coisas dessas por causa de amigos. A última foi a idéia atravessada que tiveram de escalar o Monte que tem aqui no final da cidade. A ida foi repleta de mosquitos que mais pareciam morcegos, durou duas horas e quando chegamos no topo, não tinha merda nenhuma de interessante kkkk

Mas é bom pra gente aprender e ao menos pra ter o que contar pros netos um dia kkkkkkkkk

Beijão

Caroline Sampaio disse...

"Ainda fui simpática, chamar aquilo de moço foi duro!" rsrsrs, Tadinho!
Ah cara,eu que adoro o seu blog!
Salva o meu tédio diário!
beijo.

aivilana disse...

Hahahaha!
Nossa, programa de índio mesmo! E se for depender disso, minhas flechas ficariam sempre guardadas, haha!

Mas então, dá uma passadinha no meu Blog depois porque tem um selo pra você lá. :)

Boas idéias disse...

Olá boa noite tudo bem, deixa eu me apresentar, meu nome é Alexandre eu estou passando por aqui para conhecer e fazer uma visita em seu blog, alias parabéns muito legal e de bom gosto seu blog, aproveito para convidá-la a conhecer e visitar meu blog, se quiser seguir também será bem vinda por lá, novamente para bens pelo blog, espero sua visitinha ta uma ótima semana beiju.

Missionária Bella Dourado disse...

Mara... vilhoso,rs,rs,rs desculpe querida mas seu programa de riso foi para mim muito melhor que algumas comédias que estão nas locadoras.
Eu já fiz um programa de índio,rs,rs era muito pequena voltava de um casamento, como toda menina queria estar no meio das moças para escutar os assuntos,rs,rs,rs,rs a prosa tava boa e elas se perderam na mata,rs,rs resutado, dormimos as 4 ao pé de uma árvore com direito, a relâmpagos, trovoadas, chuva e o meeedo de encontrar índios na floresta,rs,rs,rs nunca mais vou esquecer.

Dannilo disse...

kkkk
Sempre que saio com meus primos acaba virando um programa de índio
kk
eles contão mil maravilhas do lugar.. só que quando chega la ... da vontade de voltar..
mais sempre me divirto muitoo
kk
o bom é estar sempre bem acompanhadoo por mais que ruim seja o lugar...:)
bju

Boas idéias disse...

Boa tarde, vim agradecer pela vizita e por seguir meu blog, com certeza sempre estarei por aqui vizitando e vendo as novidades em seu blog, uma ótima semana e um grande beiju.

Rama disse...

ACHO Que fiz coisas bem piores q esse...ninguem merece esses progamas!risos!!
O pior é quando vc convida sem saber q o lugar é ruim...risos!