quarta-feira, 1 de setembro de 2010

iiiiii .... DEU BRANCO....

Hoje passei o dia tentando escrever alguma coisa, mas parece que a coisa não quer fluir...Revirei minha gaveta de memórias, meu baú de recordações, meu diário de saudades, mas hoje a coisa não quer coisar mesmo...

Inspiração é um negócio estranho demais, quando você menos espera a coisa vem num “plim” prontinho na sua cabeça, daí é só preparar o lápis e o papel e as idéias vão se organizando nas linhas, sozinhas, como se tivessem vida própria (um desaforo inspiração ter vontade própria), como se precisassem apenas de um instrumento (nós) para se codificarem em forma de palavras e expressões.

Não adianta forçar, espremer, apertar, porque daí a coisa não sai do lugar, ela vem sorrateiramente na hora que bem quer, às vezes fica horas conosco, outras vezes vem como se buscasse fogo, rápida e sagaz, e é tão veloz que se esvai num piscar de olhos, sem ao menos deixar rastro ou pista para ser seguida.

É um dom, um mistério, uma graça, ela chega e baixa como um espírito procurando um corpo para se apossar, e detalhe, não precisa ser invocada, ela chega sem pedir licença, deita, e se esparrama no seu pensamento. Seus pés ficam preguiçosamente virados para o ar, com a ponta dos dedos cutucando o cérebro, a fim de transmitir-nos suas ondas neuroinspiradoras (viajei na maionese!).

Inspiração não se compra em supermercado, se vendesse eu compraria uma tonelada hoje. Como pode uma coisa dessas?! Parece que sumiram todos os motivos, os temas, as expressões, as frases, as palavras, minha alma se calou e isso já ta me dando dor de cabeça. Será que eu morri e não tô sabendo? (continuo viajando) Empenhei logo meus dedinhos num contorcionismo descomunal (beliscão), provocando certo desconforto em meu braçinho franzino, confirmando (graças a Deus) que a vida ainda permanecia em mim.

Eu sempre fui meio cética quanto ao significado da palavra inspiração, para mim era o simples ato de sugar o ar para dentro dos pulmões e nada mais, mas estou percebendo que realmente existe essa segunda opção de definição e, sinceramente, queria só um pouquinho dela hoje para transcrever minhas emoções.

Realmente, a coisa que faz o meu cérebro criar expressões belas e extravagantes não quer coisar nada hoje, acho que nem se a vaca tossir e o boi disser “saúde”, minha mente vai produzir alguma coisa realmente interessante de se ler. E é com toda essa certeza de que minha mente está às moscas que entrego meus pontos, vou descansar meus olhinhos e esperar o milagroso “plim” da minha amiga inspiração, daí quem sabe ... tô pagando pra ver...

'Glenda Barros

9 comentários:

jessica.silva.l disse...

kkkkk, amiga vc é um maximo, até sem inspiração vc consegue revirar a cachola e fazer fluir alguma coisa, e bota alguma coisa nisso...O texto ficou muito bom.
Quando não tem inspiração se tem CRIATIVIDADE...

Parabéns!!!

O Reino em nós disse...

Oi mana Glenda.
Graça, paz e bem. Sempre!
Quero agradecê-la pela comentário no post "DEPRESSÃO".

Passe por lá mais vezes. Tá?

Abraços,

Sandro

Sóli Limberger disse...

Sabe, eu tenho uma técnica pra isso: UM CELULAR, anoto tudo que me vêm à mente num bloco de notas do meu iPhone, já fiz isso em papel também... Depois dou uma olhada geral e sempre tem coisas que eu mesmo fico pensando: "mas quem escreveu issso?" rsrsrs - Isso chamo de inspiração, quando a gente mesmo não sabe quem escreveu e depois se dá conta que fomos nós. Uns chamam de Deus, eu chamo de "Deus em mim."

Bjs Glenda-linda-Deus-em-vc!

Soli, teu amigo :-)

Danillo Magalhães disse...

Realmente tem momentos que não sai nada... meu blog tem umas 2 ou semanas sem nada... a correria do dia-a-dia está me impedindo de parar e refletir sobre algo interessante para escrever.
Mas como disse um comentário acima: quando falta inspiraçao há criatiividade. E foi bem criativo o texto!

Rama disse...

Q gracinha!

to precisando de inspiração ultimamente tb.

Beijao!
fica na paz!

Luiza Vinhosa disse...

Me identifiquei muito com esse texto.
Comigo acontece exatamente igual.
Às vezes a inspiração vem do nada, as palavras começam a surgir na minha mente como se tivessem vontade própria, esperando apenas que eu passe para o papel.
Mas tem épocas em que ela some... e aí só com muito esforço para que eu consiga escrever alguma coisa e o resultado não é o mesmo. Parece que fica um texto "forçado", pouco espontâneo.
Mas no seu caso, acho que a falta de inspiração te inspirou! Adorei o texto!

Caroline Sampaio disse...

Se mesmo sem inspiração tu consegue escrever engraçadamente bem.
Imaginei a vaca tocindo e o boi dizendo "saúde", rsrs

Antônio Luiz Gomes disse...

Só de você discorrer sobre o tema inspiração já é um texto bom.Você uma Escritora nata.Esse negócio de dom é interessante,não se aprende na escola formal.Vem com a gente. Siga em frente.Abraço .

Cláudia disse...

Glenda, querida!

Quanta coincidência, os dois textos que publiquei no Janela das Loucas e no Diva Latívia são sobre a minha falta de inspiração momentânea. Vontade própria? Sim, ela é demais voluntariosa. E fugiu. Quem encontrar a nossa inspiração, mande-a pra nós, pode ser por sedex, por e-mail...rsss
Adorei seu texto. Falar sobre o branco total foi sim um sinal de que você continua inspiradíssima.
Beijo,
Cláudia
http://divalativia.blogspot.com
http://janeladasloucas.blogspot.com