sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Meu inconsciente não tem gosto!!!


Acordei cantarolando intermitentemente o mais novo sucesso; "papa americano..." (mensagem subliminar tentando promover a aceitação de um futuro Papa americano?) ou "papo americano" (referindo-se as conversações típicas do povo das américas), ou seria; "papa o americano?" (coitado do americano!) ou "papamericano" (tudo junto?) a credo, sei lá, no som sai tudo igual mesmo.
Tentei me lembrar, afinal de contas, onde foi que ouvi essa música. E nada, também, está tocando em todo lugar.
Que coisa mais idiota, travei uma luta interna, comigo mesma, (perdoa o pleonasmo), tentando o dia todo tirar a música da minha cabeça. Não, nem posso chamar de música, para isso teria, no mínimo, que ter na letra uma frase completa, ou pelo menos, uma palavra que fizesse sentido, ora essa. Irada; será que existe uma pessoinha (traidora) com preferência musical duvidosa, alojada no meu inconsciente e tentando corromper minha sanidade? Não é possível.
A primeira tentativa foi de eleger um adversário, assim, se eu cantasse repetidamente uma coisa melhor, (qualquer coisa seria melhor), seria como gravar por cima de uma fita cassete. Tentei, e parecia que estava funcionando, mas ficar assim forçando um pensamento, cansa. E quando eu parei um pouquinho e o imaginário ficou vazio.... lá vem de novo; "papamericano". Urrrhh!!!! (Adeus teoria da fita cassete).
Tentei a intimidação; "EU NÃO QUERO CANTAR ESSA DROGA!" "ME OBEDECE INCONSCIENTE, EU MANDO EM VOCÊ!". Nada, também não resolveu.
A revolta passou para o compositor, quem foi que teve essa idéia genial? Unir uma baladinha eletrônica, á repetição sem explicação, da mesma palavra, cantada por algum fanho? Qual a mensagem afinal de contas? Qual a intenção? Desconfio que era essa mesma; ocupar a nossa mente com uma coisa inútil.
Não seria o primeiro a conseguir, todas as canções deste tipo; sem noção, sem sentido, sem conteúdo, sem futuro, entram na cabeça da gente e se instalam lá, sem autorização, se achando donas do pedaço. Melodias simples, sem muitas notas, letras repetitivas e agente cai. Lembra? Da Macarena, da Festa no Apê. ..."Pocotó, pocotó, pocotó, minha éguinha pocotó..." "créu, créu, créu, créu..." "rebolation, rebolation."
Ah não gente, parei, vocês já entenderam né? Tenho medo de ficar escrevendo e elas se unirem numa espécie de complô e se tornarem mais fortes e invencíveis.
Fiquei pensando naqueles que compram os cds, e cantam e dançam, procuram o estrago com as próprias mãos. Lembrei das musiquinhas infantis, pelo menos estas, formatam o cérebro das crianças com alguma coisa construtiva (algumas). Das propagandas que se eternizaram por causa da trilha sonora e nos fizeram consumir; Danoninho, Batom até Biotônico, e toda espécie de produtos. E ainda estão ai os jingles da política, que usam muitas das músicas inúteis, para facilitar a memorização e quando menos esperamos estamos repetindo o número, o nome e o slogan de algum candidato desconhecido (até agora).
O inconsciente é um mecanismo perigoso, absorve o que é oferecido, seleciona com critérios estranhos, e é controlador.
Ah, não teve jeito, eu desisti, porque quanto mais pensava na idéia de vencer o inimigo, mais forte ele ficava. Funcionou, quando me dei conta, tinha sumido, melhor não comemorar muito, nem pensar muito na vitória, senão o derrotado ressurge.
Mas fiquei incomodada, como pode uma coisa dessas?
Meu inconsciente não tem gosto!


'Kelly Rodrigues

12 comentários:

walter disse...

kelly olha nao posso te falar nada sobre essa musica adoro ela como tantas outras musicas idiotas que eu ouço mas entendo por que sua idignação vcs mulheres não gostam de serem dominadas por nada nesse mundo por isso são tão faceis de se dominar rsrsrsrsrs bjos pra vcs duas kelly e glenda rsrsrsrsrs.......

jessica disse...

Músicas sem conteudo são atraidas pelo nosso inconsciente, tomam conta de nossos pensamentos sem serem convidadas e quando somos vencidas pelo cansasso e decidimos desistir de tira-las de nossa mente, elas simplesmente vão embora sem dar nenhuma satisfação...fazer o que?!? Rsrsrs
O pior é quando não sabemos nem a letra e fica a infernal repetição do final das palavras.

Minha tática é o seguinte, procuro a musica na internet, e ouço ela até o final...geralmente da certo...mas não são todas a vezes infelizmente, rsrs

Parabêns Kellynha, ótimo texto!!!

Beijos

Danillo Magalhães disse...

Acontece o mesmo comigo tb, as vezes huahuahua Dai começo como vc tentou fazer eu começo a cantar outra música para ver se a outra some, mas quando eu menos percebo lá está a bendita de novo na minha cabeça huahua
"Tenho medo de ficar escrevendo e elas se unirem numa espécie de complô e se tornarem mais fortes e invencíveis"
Meu Deus imagina... tenho medo tb... melhor nem relembrar demais...
Realmente o incociente é um terreno desconhecido por nós.

Missionária Bella Dourado disse...

Sim acontece mesmo,rs,rs,rs, mas é cruél, eu fico colérica se me vejo aceitando alguma coisa produzida da industria da inutilidade na minha vida e nos meus pensamentos, nossa é necessário mais que oração é necessário DEUS me puchar o freio porque fico muito irritada (sanguinea), comigo mesma,rs,rs,rs
Obrigada pelas orações, pela misericórdia de DEUS ja esta postado no meu blog o resultado da cirurgia cárdiaca. Todos que aqui passam também estão convidados a lerem um testemunho real sobre o grande poder do nosso DEUS.

Bjosss e adooooooooooooooro este blog!

Eu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dannilo disse...

No meu ponto de visa.. hj em dia nao tem muito conteudo nas musicas..ai eles repetem tanto algumas partes que chega a ficar chato a musica... é o caso citado "crew..crew..","rebolation..." e "pocotó.."
nao vejo graça em uma musica q so repete.. mais.. hj em dia é uma artemanha pra que a musica ficar mais presa na cabeça das pessoas...mais nao critico quem goste.. gosto é gosto..
no caso de eleiçao.. eles fazem a mesma coisa.. colocam essa artemanha para que fique facil para decorar... ai quando chegar na hora e a pessoa nao lembrar do candidato .. ele vai lembrar da primeira musica que vier na cabeça.. ai lembrando da musica lembra do numero e ai vota em alguem por causa da musica.. que lembrou na hora..
mais nao gosto muito dessas "artemanhas", isso na questao de musica degrine um dos maiores meiod de comnicaçao ..que é a musica..
:)

Kellynha disse...

Exatamente Walter, acertou em cheio, não gostamos de ser controladas por nada, mas não somos só nós mulheres não, ninguém gosta. Difícil é essa irritação de não ter controle sobre o nosso próprio inconciente, aff, eu me sinto tão influenciável, (não sou claro),então vale tentar qualquer tática, orar, ouvir a música até o fim, vai que funciona?

Francorebel disse...

Vai entender os caminhos e descaminhos do inconsciente!...

Nefelibata Histérica disse...

Nossa, tive o azar de escutar essa música às vésperas de uma prova de Economia na faculdade? O resultado: em vez de pensar em definições para oferta e demanda, me vinha "papamericano" na cabeça! Urgh! Essas músicas tem aquele terrível efeito de chiclete na sola de sapato! Nosso inconsciente tem mesmo gosto duvidoso!

Madonna Turnner disse...

Nosso inconsciente tem mesmo gosto duvidoso! Eu fico com o refrão dessa música na cabeça no meio da aula e fico totalmente dispersa ao que está acontecendo ao meu redor! (:
Passa la no meu:

http://madonna-turnner-cardoso.blogspot.com/

aivilana disse...

Eu entendo bem essa sua aflição. E engraçado, você não fica com um Los Hermanos, Beatles, Jet, Vanguart na cabeça. Por mais que você os ouça o dia todo, todo dia você ainda esquece umas partes.
Mas essas músicas aí, meu Deus! Criam raízes no nosso inconsciente!

Antônio Luiz Gomes disse...

Essa "música ?" papamericano que tem tocado por aí,não sei se você já sabe, é apenas um"resumo"piorado de uma música típica da Itália,que você pode ver os personágens cantando no filme O Talentoso Ripley" (o primeiro). Por sinalum bom filme baseado no livro da Escritora Patrícia Hihgsmith. Vale a pena ver. Um abraço virtual,direto de Gyn para Gyn. Até breve. ALG